Mercado exige novas competências dos profissionais de TI

Como já evidenciamos em outros artigos publicados aqui no blog, o mundo dos negócios muda constantemente e as organizações que almejam otimizar seus serviços alcançando sucesso devem atender as novas demandas e exigências que surgem com essas mudanças.

É nesse sentido que a metodologia apresentada às organizações por meio do BPM (Business Process Management) vem sendo crescentemente identificadas como um fator agregador de valor ao produto/serviço prestado pelas mesmas. A utilização de ferramentas BPM permite a implementação de fluxos de trabalho que podem ser facilmente controlados e registrados, isso já em tempo real, colaborando assim para a melhoria contínua dos processos e procedimentos organizacionais.

Porém, para que esta metodologia de gestão por processos seja efetivamente bem-sucedida é preciso que os profissionais envolvidos em sua implementação e utilização estejam devidamente capacitados para absorver suas responsabilidades. O mercado já vem preparando profissionais com conhecimento específico para trabalhar com processos e negócios como é o caso dos Analistas de Processos. Estes profissionais, como bem mencionamos no artigo “Tecnologia e Mercado moldam um novo profissional”, apresentam às organizações esta nova profissão que, embora ainda não seja muito comum, já é vista como promissora por profissionais que atuam no segmento BPM e pelas organizações que apostam na gestão por processos como pilar essencial de seu planejamento estratégico-corporativo.

A tarefa do Analista de Processos é ajudar a organização a atingir suas metas e fazer com que o planejamento estratégico da mesma seja efetivamente colocado em prática.

Quais são então as competências dos profissionais de TI para se tornar um Analista de Processos?

  • Entender os processos de negócio da organização;
  • Ter capacidade analítica e sistêmica para solucionar e evitar problemas;
  • Conhecer a fundo produtos e serviços oferecidos pela organização além, é claro, da realidade do mercado do segmento;
  • Integrar a comunicação entre processos de negócio e TI a fim de trabalharem em harmonia e trabalharem em parceria para atender as reais necessidades de cada um;
  • Estar atento às demandas da organização a fim de apontar as melhores soluções para a otimização dos processos de negócio da organização (prazos, custos);
  • Analisar a viabilidade da incorporação de projetos;
  • Ter facilidade na tomada de decisões;
  • Trabalhar em equipe;
  • Possuir conhecimento básico a cerca de ferramentas que possam auxiliar seu trabalho (softwares de gestão por processos).

Somente os profissionais com visão holística do negócio e que entendem o verdadeiro valor da TI no processo de conhecimento e aprimoramento do negócio da organização terão sucesso em seu trabalho. A partir disso irão agregar valor não só a organização, mas também para a sociedade tornando- se um exemplo positivo da utilização do Escritório de Processos

Post anterior
Quais são as habilidades desejadas no analista de BPM?
Próximo post
Criação de dashboards para gestão é o destaque do novo Supravizio

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu