Governança de TI para controlar riscos e informações

Muito mais do que um simples meio de facilitar a vida das organizações, a Tecnologia da Informação (TI) pode ser usada como uma forte aliada para o sucesso dos processos de negócio das mesmas. Isso porque por meio desta tecnologia podemos implementar uma metodologia que possibilita o cumprimento dos objetivos do negócio e de sua estratégia, a Governança Corporativa.

Segundo o especialista em Governança, Wellington Monaco, a Governança de TI vem a colaborar efetivamente para controlar riscos e informações dentro das organizações, o que caracteriza negócios bem sucedidos. “Para muitas empresas as informações e a tecnologia que sustenta a disponibilidade destas são seus bens mais valiosos, mas geralmente menos compreendidos, caracterizando-se como simples ativos. Empresas bem-sucedidas reconhecem os benefícios da Tecnologia da Informação e os utilizam para mostrar valor agregado aos seus patrocinadores e investidores”, explica Monaco.

Para que uma empresa possa destacar-se diante do competitivo cenário mercadológico nos dias atuais, é preciso que esteja atenta aos benefícios que a TI pode agregar aos seus processos de negócio e enxergar em sua utilização um diferencial que se faz cada vez mais necessário para que a mesma alcance seus objetivos previamente definidos, tanto no âmbito operacional quanto no estratégico. “A Governança de TI propõe um gerenciamento responsável por otimizar a disponibilidade dos recursos de TI (Aplicações, Informação, Infraestrutura, Pessoas e Monitoramento do estágio de atuação do ambiente de TI no Negócio), com o objetivo de definir as necessidades de Governança e Controle”, comenta o especialista.

De acordo com Monaco, o sucesso da implantação da Governança de TI implica na participação de todos os envolvidos no processo, desde a equipe diretiva da empresa ao nível operacional.

“A Governança de TI é responsabilidade dos executivos e de todo o staff de diretoria. Esta prática consiste de liderança, estrutura organizacional e processos que garantam que as organizações de TI mantenham e se superem no atendimento das estratégias e objetivos do Negócio. A Governança de TI é responsável por integrar e institucionalizar as melhores práticas para garantir que a TI suporte os objetivos de Negócio, assim como para tirar proveito das informações a fim de maximizar os benefícios agregados, capitalizar oportunidades e ganhar vantagem competitiva”, ressalta o executivo.

Quais são as atribuições específicas da Governança de TI?

  • Alinhamento Estratégico: definição, manutenção e validação do valor da TI, através do alinhamento das operações de TI com as demais operações do negócio;
  • Entrega de Valor: garante a entrega de benefícios estratégicos, com a otimização de custos e valor intrínseco da TI;
  • Gerenciamento de Recursos: otimização de investimento e gerenciamento de recursos críticos de TI como Aplicações/Aplicativos, Informação, Infraestrutura e Pessoas;
  • Gerenciamento de Riscos: entendimento do apetite corporativo por riscos, requerimentos de normas regulatórias, transparência e entendimento dos riscos significantes ao Negócio e, implementar as responsabilidades de gerenciamento de riscos dentro da organização;
  • Medição de Performance: trilhar e monitorar estratégia de implementação, encerramento de projetos, utilização de recursos, processo de desempenho da entrega de serviços de TI, em um contexto de Balanced Scorecard que transforma estratégia em ações efetivas, para o alcance de objetivos mensuráveis (indicadores).

Monaco destaca ainda que as empresas precisam entender o valor da TI como fator essencial para sua atuação, tendo em vista as novas tendências e exigências do mercado, para que possam alcançar excelentes resultados e sejam bem sucedidas. “A necessidade de se garantir o reconhecimento do valor da TI, o gerenciamento de riscos relacionados a ela e os requisitos de maiores controle sobre as informações, agora estão compreendidos como principais elementos da Governança Corporativa. O Core da Governança de TI está voltado ao reconhecimento do valor da TI para o Negócio, fazendo com que sua implantação, seu entendimento e o gerenciamento dos riscos que envolvem a tecnologia da informação, possam ser explorados a fim de colaborar para a organização e controle das atividades internas a fim de garantir a melhoria continua dos serviços prestados e efetividade estratégica da corporação”, finaliza Monaco

Post anterior
Como aumentar a produtividade em escritórios de advocacia
Próximo post
Processos e pessoas em sintonia

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu