O método dos 5 porquê em busca da qualidade

O método 5 porquê é uma das mais simples e efetivas metodologias usadas para se chegar a causa primeira de um problema. Amplamente usado na indústria e em empresas de serviços, é uma ferramenta muito ligada à gestão da qualidade total e à melhoria contínua.

O segredo do método 5 porquê está exatamente em sua praticidade e efetividade. O que deve ser feito ao se deparar com um problema ou inconformidade é se perguntar porque aquilo ocorreu e, em seguida, se perguntar de novo em relação a resposta dada e assim por diante até se chegar ao quinto porquê.

Criado pelo famoso engenheiro Taiichi Ohno, considerado um dos principais responsáveis pela criação da Metodologia Toyota de Produção, o método 5 porquê tem um objetivo claro: determinar a causa raiz de um problema.

Nesta postagem vamos explicar em mais detalhes estes e outros conceitos do método dos 5 porquê e como utilizá-lo em seu dia a dia, seja no trabalho ou mesmo em outros campos de atividade.

Os porquês do método 5 porquê

Vamos começar com a definição de causa raiz:

É a causa primeira, aquela que, lá atrás, deu origem ao problema. Com essa sequência de 5 perguntas procurando o porquê de algo, Ohno conseguiu que as pessoas fugissem de um comportamento muito comum e difícil de erradicar no ser humano: confundir a causa de um problema com uma característica dele ou um sintoma.

Por exemplo: Digamos que você vai usar seu carro pela manhã e ao tentar dar a partida descobre que o carro está com defeito, ele não liga. Ao se perguntar por qual motivo ele não liga, descobre que a bateria está descarrega. Chega então a conclusão de que o carro está com defeito porque a bateria está descarregada.

Mas não! Na verdade, o fato da bateria estar descarregada não é a causa do defeito, é parte dele! É preciso descobrir porque a bateria descarregou. E assim sucessivamente até se chegar a causa raiz. A bateria pode estar descarregada porque você esqueceu os faróis ligados ao chegar em casa na noite anterior, ou por um defeito de fabricação da bateria, ou algo mais difícil de detectar, como um erro no software do carro ou mesmo devido a um curto circuito leve, causado por algum fio que está entrando em contato com outro.

Imagine que você simplesmente troque a bateria e, no dia seguinte, o carro não funcione novamente. Se você tivesse continuado a sequência de perguntas até o quinto porquê, talvez tivesse descoberto que a bateria descarregou, vamos dizer, pelo defeito no software do carro, então teria levado ao mecânico, que teria se perguntado porque o software estava com defeito e o reinstalado corretamente.

Em seguida, ele deveria reportar à fábrica, que descobriria se aquele software específico instalado no seu carro estava programado erroneamente (e porque passou despercebido pelo controle de qualidade) ou se na verdade todos os softwares instalados vão apresentar este mesmo defeito mais cedo ou mais tarde e é preciso fazer um recall nos automóveis desta fábrica.

Caramba! Como foi longe está história do método 5 porquês!

Por que 5 porquês?

Essa é uma boa pergunta. Por que não 4 ou 6? Na verdade, depois de usar o método muitas vezes, Ohno chegou à conclusão que 5 era o número médio de vezes em que era suficiente para se chegar a causa raiz do problema. Podem ser necessários, às vezes, 4 porquês e, em outros casos, mais deles. Mas o ideal é chegar a 5.

O método 5 porquê e o diagrama de Ishikawa

Também conhecido como diagrama espinha de peixe, esta metodologia desenvolvida por Ishikawa usa um diagrama em forma de seta em que se colocam as possíveis causas de um problema, mas divididas e 6 campos de análise:

  • Método
  • Material
  • Mão-de-obra
  • Máquina
  • Medida
  • Meio ambiente

Em seguida, para cada uma dessas causas de cada campo, se fazem as 5 perguntas do método 5 porquê, chegando-se de forma bastante completa a uma gama de causas que se solucionadas podem se transformar em excelentes fontes de melhorias nos processos de produção ou entrega de serviços.

Como você viu, apesar de antiga, a metodologia dos 5 porquê pode trazer respostas importantes durante o redesenho de processos, principalmente se auxiliada por softwares BPM que tragam informações precisas em tempo real que auxiliem a responder de forma mais assertiva cada um dos 5 questionamentos sequenciais: – Por quê?

Post anterior
Os 5 passos de como elaborar um planejamento de vendas
Próximo post
BPM Document Centric, quando usar?

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu